22/08/16

Não é rebeldia, é autenticidade

legs-434918_960_720

Não fomos treinados para ser quem somos e seguir o que sentimos. Muito pelo contrário, fomos treinados a agradar o outro e abafar nossas vontades. Seguimos hoje na constante busca do “fora da caixa”, que é a busca por nossa autenticidade. Não é questão de estalar os dedos, é construção diária. E requer trabalho.

Seguir o que faz sentido para nós, expor nossa opinião e gostos, mesmo sendo diferente do resto das pessoas, causa frio na barriga, por vezes. Aquele velho medo de desagradar. Mas que com o tempo a gente começa a se libertar, porque percebemos que sendo verdadeiros, atraímos pessoas também verdadeiras. E deixamos claro para o Universo o que realmente queremos e não queremos em nossa vida.

Ser autêntico não assusta só a nós mesmos, mas os que nos cercam talvez até mais. Porque paramos de ser quem as pessoas gostariam que fôssemos para ser quem realmente somos. E aí é que por vezes gera confusão: Nós, os autênticos e os que estão treinando para isso, somos confundidos com rebeldes sem causa.

Desde que me conheço por gente ouvia meus pais dizerem: “Você é sempre do contra“. E quando era pequena ficava para morrer com isso. Hoje eu sei que eu colocava a minha verdadeira opinião e vontade no que fazia, por isso parecia ser do contra aos que não o faziam.

Autenticidade para algumas pessoas é sinônimo de perigo. Porque a gente não gosta de gaiola e voamos fácil, mas sabemos voltar também. Quando sentimos que assim temos que fazer. Acho que existe um contato maior com a essência desse lado de fora da caixa. Existe um ar mais puro. Não é revolta, é a constante busca pela liberdade de ser quem somos. Gostar de quem quisermos. Ouvir as músicas que queremos. E por tanto, também amar profundamente as pessoas, com verdade e não com troca de favores. De se você me agradar, eu também te agrado. É também saber aceitar que por vezes, do mesmo jeito que criam expectativas conosco, também criamos vez ou outro com os outros. Faz parte do Pacote Fora da Caixa. E está tudo bem, estamos todos aprendendo e nos conhecendo mais a cada dia.

Eu não uso mais salto agulha porque não me sinto confortável. Ainda me sinto super bem de all star. No melhor estilo adolescente de ser. Porque sim, porque eu quero. Ser não requer explicações.

Voar pode ser assustador, mas as asas apreciam e crescem mais a cada voo.

“Optar pela autenticidade não é uma escolha fácil. E.E. Cummings escreveu: ‘Ser ninguém-a-não-ser-você-mesmo em um mundo que faz o possível, noite e dia, para fazer de você qualquer um, menos você mesmo, significa travar uma das batalhas mais duras que qualquer ser humano já travou, e nunca parar de lutar.’ ‘Permanecer real.’ é uma das batalhas mais corajosas que iremos lutar.” Trecho de Brené Brown

Comentários (0)
18/08/16

O outro vai até aonde você permite

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A gente caminha pela vida se relacionando. Uma hora aqui, outra hora ali. E no meio desses relacionamentos existem muitas lições, além de amor. E vamos sempre permitir que o outro nos trate como nós nos tratamos. “Mas fulano me trata tão mal”. Será mesmo? E como você tem se tratado? Às vezes não paramos para nos olhar e ficamos analisando o comportamento do outro em relação a nós.

Se o outro nunca chega na hora certa que eu marco de sair e eu continuo marcando com ele, quem está se permitindo estressar sou eu. Se toda vez que eu vou falar com ciclano no messenger ele me deixa no vácuo e eu continuo falando e falando, parece que estou implorando para ser deixada no vácuo, não?!

Quando trazemos a consciência do autocuidado já não permitimos alguns comportamentos em nossa vida. Começamos a podar essas ervas daninhas do nosso jardim, antes mesmo que elas se prolonguem. Mas se não temos ainda a consciência sobre isso, continuamos a repetir em nossa cabeça “Mas coitadinho, ele precisa de mim.” Então eu te pergunto, o que você está recendo nessa relação? Qual o ganho secundário? Porque se você permite e permite e permite é porque algo está ganhando, nem que seja inflar o seu ego e ser o super herói da história.

O cuidado com o nosso próprio jardim, nos permite florescer sozinhos e buscar o outro para trocar pétalas e expandir a nossa essência nessa conexão. Podar ervas daninhas, tirar espinhos e nos encher de amor e carinho faz parte do zelo por nosso plantio. Porque se uma relação está me deixando frustrada e fazendo com que eu me sinta mal, é hora de pegar o espelho e me avaliar com muita transparência, amor, compreensão e cuidado.

Comentários (0)
11/08/16

Quando o milagre vira do avesso e a gente acredita que é só um tropeço

acredite-em-milagres-diarios

A gente cai tantas vezes pela caminhada da vida. Leva tantos tropeços. Muitas vezes tropeçamos na pedra que a gente mesmo resolveu deixar pelo caminho. E ficamos deitados no chão tentando entender porque caímos. A vida é surpreendente e ultrapassa qualquer plano A ou B que carregamos.

Mas nem por isso ela deixa de ser uma aventura deliciosa. Há muitos milagres que chegam com cara de tropeço, a gente acha que vai ser o fim do mundo e na verdade é o começo de uma linda história. Quantas vezes isso já não te aconteceu?

Sabe quando você já desenhou na sua cabeça qual vai ser o final feliz de todo o enlace e ele booom! Explode diante dos seus olhos e quem fica em pedaços é você? Quantas vezes isso já não te aconteceu? Quantas lições você aprendeu? Quantos caminhos não teve que providenciar de última hora, só porque tudo deu “errado”. Só porque o tropeço chegou e lá na frente descobriu que aquele tropeço era na verdade um baita milagre da vida pra você.

Perder um emprego e achar um melhor. Alguém que você achava essencial em sua vida, te virar as costas e sair de mansinho e de repente sua vida muda lindamente, porque a vibe da pessoa era pura inveja e você não enxergava? Aquele dia chuvoso que não te deixou sair de casa e você pode vivenciar momentos deliciosos com sua família? Ou até mesmo um baque muito forte que te fragilizou e você procurou ajuda de alguém que se tornou um grande amigo por esse apoio dado?

Tantos ângulos da mesma situação, tantos pontos a observar. E a escolha é sempre nossa. Cair e permanecer chorando, ou desenhar um novo rumo milagroso para nossa vida.

Qual é o milagre que hoje você pode estar vendo como tropeço?

Comentários (0)